27/05/11

Tempo??? nicles, nada, népia, zeeeero!!

Entre muitas coisas para fazer em casa e consequente "troca de turno" com o maridão (agora fico com as tarefas do fim do dia: buscar à escola/ banhos /jantar/ preparar o dia seguinte para não custar tanto, etc), e novo projecto no trabalho estou de rastos.


Mas passo aqui para uma leitura breve e fico contente de saber coisas novas das minhas amigas bloguistas :)
Tirei barriga de miséria a ler tudo de seguida. Pena não ter comentado tudo, mas não tenho mesmo tempo.
Por falar nisso : Fui...
Amanhã é dia de trabalho e vou aproveitar para curtir a família :)

24/05/11

(A horas)


Lá vinha ela a descer em passo acelerado nas escadas de madeira pesadas que a arrancavam das águas furtadas num prédio antigo de Lisboa.
Não se queria atrasar para não o atrasar.
Era o ponto alto do dia. E era de manhã. Logo, deixava-a bem disposta para que tudo o resto corresse bem.
Nem se conseguia lembrar quando foi a primeira vez. Desde há umas semanas que todos os dias, às 8h10, ela tirava o carro do lugar onde estava estacionado e ele, logo de seguida lá estacionava o Clio cinzento e seguia para o escritório dois prédios à frente.
De uma segunda ou terceira vez houve um aceno de agradecimento.
Mais tarde, trocaram olhares e depois sorrisos.
Tentava imaginar qual seria o seu nome. No seu imaginário correu uma série deles. Ficou-se por Hugo - um nome curto e determinante.
Chovia bastante naquela sexta feira. Antes de se aventurar à chuva procurou o Clio com o olhar. Não o encontrou em segunda fila no lugar atrás do seu carro como era costume. Sentiu-se gelar. A humidade do ar conseguiu contagiar o espírito alegre e saltitante com que descera a escada. Esperou e foi contando os segundos. E depois os minutos. Desolada, decidiu sair. Não podia esperar mais - não pelas horas, mas porque queria ultrapassar aquela ansiedade.
Ao passar a porta abrigou-se nas varandas e de cabeça baixa tentava proteger-se das gotas de chuva quando embate em alguém de quem se tenta desviar mas que lhe segura o braço.
- Há tempo para um café?
De chapéu aberto, como se a quisesse confortar, ali estava ele à sua espera, decidido a tornar aquele encontro pontual e periódico em algo mais do que uma deixa de estacionamento.

23/05/11

19/05/11

Mais uma conquista

"Então é assim:
Fazes uma cruz com os dois atacadores e puxas.
A seguir fazes uma orelha com cada atacador, seguras nas duas, cruzas e passas uma das orelhas pelo buraquinho.
Puxas as dua orelhas ao mesmo tempo com cuidado pra não desfazeres senão tens que voltar tudo ao início.
Percebes, mãe? É assim que se faz.  E eu já sei fazer sozinha :)"





A princesa cá de casa - há 5 anos que não sou eu!- ontem atou os seus tenis pela primeira vez COMPLETAMENTE sozinha. Sem ajuda nenhuma.
Fantástico, filha.
Ès uma pequena grande mulher :)

É uma coisa pequena e que vai ser parte constante do teu dia-a-dia. Mas deixas-me muito orgulhosa.

17/05/11

(Supostamente)

Ia num passo acelerado mas sem destino aparente. Ela sabia que não podia chegar e bater à porta assim. A cara latejava pela dor física que aquela agressão lhe causava. Mas o que mais a feria era a dor de dentro, a dor do coração, a dor de quem se deixou mais uma vez apanhar pela fúria sem razão.
Ele tinha dito da ultima vez que aquela era a últma vez.
Abraçou-a sem ferir, voltando a ser quem ela queria que ele fosse.
E ela acreditou.
Até que agora, mais uma vez e sem razão aparente, ela sentiu a sua suposta viririlidade.

Onde é que se deu a curva?
Onde é que, naquela história, a personagem mudou o rumo e descarrilou para um alguém que não lhe era nada mas de quem se tornava cada vez mais difícil libertar-se?

Sentou-se num banco. A noite estava fria. As mão geladas aliviavam o ardor na face ruborizada. E a dor de dentro, que mão iria aliviar?
Deixou-se ficar até perder a sensação de dormência.
A seguir, e depois de se recompor, ia visitar a filha a casa. Como era suposto. Sem deixar nenhuma ponta solta, dentro da sua suposta e normal felicidade.

Adele - someone like you

É arrepiante!
Quando se sabe, sabe-se mesmo. E faz-se bem...
Só a voz e pouco mais. Além do sentimento, claro - porque a mim parece-me que ela sente cada letra das palavras que está a cantar...




Damn, she's fucking great!

16/05/11

Lucky me :)

Depois de ler isto, confirmo a ideia de que sou realmente uma sortuda por beneficiar de uma serviço de saúde que, apesar de público, funciona muito bem.

- 12 consultas em 41 semanas de cada gravidez (€ 0,00)
- 3 ecografias por gravidez (6 x €100,00)
- Parto normal em hospital público (HGO) com epidural mas sem regalias extraordinárias (€ 0,00)
- Do investimento em fraldas e das condições mínimas não me safei
- Tive muita ajuda em roupa principalmente da Lu mas também do JL (claro que gasto, mas pouco)
- Quarto, banheira etc foi um só investimeto. Passou dela para ele e entretanto já tem outros donos :)
- Consultas de Pediatria (€ 0,00).
O nossa médica de família também dá consultas de Saúde Infantil
- Vacinação: tudo pelo SNS, à excepção das Prevnar ( 4 x €78,00 para cada um)
- Escola: Creche + Pré-escolar. Não é barato, mas vale a pena. Apesar de ser uma IPSS não somos abrangidos em benefícios porque o pai é empresário :/

Fazendo contas, sou realmente uma lucky one :)

15/05/11

Em retrospectiva

andei a ler o blog para trás e gostei do que li.


487 posts (mais este) e identifiquei-me em cada crise existencial, cada desabafo, cada piadola típica do meu feitio, cada anseio e preocupação com os meus amigos, cada alegria, cada momento que compõe a educação dos meus filhos.

Ri e chorei a reler coisas que fazem parte de mim.
Gostei.

Nice weekend

começou assim...


com um fim de tarde em família no parque.

Houve de tudo, desde almoço/jantar ao ar livre (há anos que não disfrutávamos assim da varanda e da vista), convívio com amigos, caracóis e cerveja (com 7up pra mim - fraquinha...)...

Foi um fim de semana muito bom. Faltou pouco para ser completo. Mea culpa.

14/05/11

2ª maravilha

É lindo. Fantástico.
ADORO!!!
Já tinha manisfestado aqui a minha adoração por este relógio.

Agora ele é meu.
Todo meu.
Meu em cada uma das suas 5 braceletes. E no mostrador lindo...


É mesmo uma delicious box :)

Primeira maravilha

13/05/11

Asneira da grossa

Filho, desculpa ter te deixado com um ar... que não tem nada a ver contigo (felizmente).
Nunca mais a mãe te toca no cabelo. Nunca mais.
Abençoados 7 euros que tâm ficado na cabeleireira todos os meses.

Não gosto de te ver cheio de caracóis, ficas com ar de menino de rua.
Mas prefiro ao ar frágil que ficaste quando te cortei o cabelo rente, rente...

Mais uma ou duas semanas para disfarçar.
Até lá:

Boné e ... esperar

11/05/11

strenghtless is...

 ...Physically or mentally weak. Lacking physical strenght or health

é como me sinto. Fraca mental e fisicamente.
As mãos pesam-me nos braços. Os braços pesam-me no corpo. O corpo pesa-me na alma.
Mas o mesmo corpo é empurrado a cada dia para o que e para onde me és suposto ser e estar.


Esse é o problema.
A causa, julgo ser cansaço (semana comprida e muitas coisas para fazer, desde o acordar até o deitar).
Solução: fim-de-semaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaana!!! (deve se suficiente. Espero que sim)

03/05/11

Uau!!!

Uma mulher de saltos altos é qualquer coisa!! Se souber andar com uma postura correcta só tem a ganhar.
Ganha na postura.
Ganha um posto mais elevado na atenção masculina.
Ganha a cobiça/inveja da claque feminina.
Ganha auto-estima.
E ganha, em alguns casos, uma valente dor nas pernas :)

02/05/11

Nova Leitura



Este é o livro que me tem acompanhado nas viagens de transportes.

Estou a adorar. Mesmo.
É um elogio à familia. Com um sabor adocicado típico que quem o escreve.

É emprestado, mas quero um para mim. É daqueles que eu hei-de reler daqui a algum tempo (semanas, meses ou anos, mas o certo é que hei-de reler)

* Gosto tanto de ler. assiduamente.

01/05/11

É especial quando...

... te pego ao colo
... te sopro o doi-doi no dedo
... me queres pintar as unhas e brincar às princesas
... adormeces ao meu colo na cama mesmo quando eu sei que aquela dor de barriga não é a sério
... me mostras que é especial para ti quando te vou buscar à escola
... me contas os teus "problemas" e esperas que eu os dimensione a uma escala gigante
...
... me pedes uma história e depois outra e depois outra
... me tentas assustar com o monstro e te sentes um crescido se "estremeço" de medo
... corres para mim e me abraças com toda a força que o teu pequeno corpo tem
... te escondes e esperas que eu te encontre
... me dás beijos sem razão aparente
... te enroscas em mim e me pedes ó-ó
...

E continua a ser especial quando há noites mal-dormidas, quando o tempo "livre" escasseia, quando há preocuações e imprevistos que nos trocam as voltas...

Mesmo assim, é especial ser vossa mãe.
Muito especial para mim.

Dia da Mãe

Eu adoro os meus filhos. Amo-os de paixão. Incondicionalmente.
Não consigo - nem me dou ao trabalho de - imaginar a minha vida sem eles.
Gosto de ser mãe e isso completa-me a mim e à minha vida.

Depois de ser mãe compreendi melhor a maternidade. Compreendi melhor a minha mãe, a minha sogra e outras mães que conheço. Posso não concordar com atitudes, com opções e/ou com formas de educar. Mas dou um valor muito grande a esse fenómeno que é a maternidade.

À minha mãe, pouco tenho a dizer em palavras, se não que a amo muito e agradeço tudo o que ela é e sempre será para mim e para o meu lar... Obrigada!
Parabéns a cada mãe, a cada mulher que teve na vida o previlégio de conceber.

34

Parabéns, meu "velhote"...! (Há 10 anos que te dou os parabéns... que giro)


Estás mais charmoso, mais vivido.
És o meu vinho do Porto. Reserva de altíssima qualidade.